O CRENTE E A VIDA CRISTÃ

 

O CRENTE E A VIDA CRISTÃ
PR. RICARDO RAYMUNDO
ÍNDICE
01ª Parte: O CRENTE E A FÉ
02ª Parte: O CRENTE E A GRATIDÃO
03ª Parte: O CRENTE E A HONESTIDADE
04ª Parte: O CRENTE E O AMOR
05ª Parte: O CRENTE E O MUNDO
06ª Parte: O CRENTE E O MUNDO/CONTINUAÇÃO
07ª Parte: O CRENTE E A ARMADURA ESPIRITUAL
08ª Parte: O CRENTE E O DIZIMO
09ª Parte: O CRENTE E OS TALENTOS
10ª Parte: O CRENTE E O BATISMO COM O ESPIRITO SANTO
11ª Parte: O CRENTE E A PROTEÇÃO DO LAR
12ª Parte: O CRENTE E O CARÁTER
13ª Parte: O CRENTE E AS MANIFESTAÇÕES PENTECOSTAIS
14ª Parte: O CRENTE E AS MANIFESTAÇÕES PENTECOSTAIS
 
1ª Parte: O CRENTE E A FÉ Texto: Hb 11.1-10
Introdução
Hoje estamos iniciando um novo assunto doutrinário que é “O CRENTE E A VIDA CRISTÔ. Hoje veremos que a principal evidência da fé viva é a obediência irrestrita a Deus.
I – O QUE É FÉ?
1- É o firme fundamento das coisas que se espera Hb 11.1a; Rm 4.20,21
2- É a prova das coisas que não se vêem Hb 11.1b; Jo 20.29
3- É a base do entendimento do poder de Deus Hb 1.3
4- É o único meio de agradar a Deus Hb 11.6
II - A ORIGEM DA FÉ
1- É divina e não natural Ef 2.8
A – É dada por Jesus At 3.16
B – Jesus abre a portas da fé At 14.27
C – É Deus que nos capacita a fé Rm 16.27
2- Vem pelo ouvir a palavra de Deus Rm 10.17
III - DIFERENTES MANIFESTAÇÕES DA FÉ
1- A visível Gl 5.6
2- A que altera o curso da vida Ex 12.1
3- A que perde algo por outro maior Hb 11.26
4- A que propicia coisas impossíveis Hb 11.27
5- A que derruba obstáculos
   . Deus levanta pessoas para ter um algo mais, para ser diferente Jo 1.5;
Hb 11.30
IV - DIMENÇÕES DE FÉ
1- Pequena Mt 6.30
2- Tanta fé Mt 8.10
3- Grande fé Mt 15.28
4- Como grão Mt 17.20
5- Fé doente Rm 14.1
6- Sem fé 2 Ts 3.2
Conclusão
Amada igreja, deu para vermos que só podemos ter uma vida Cristã abençoada se a fé estiver em ação em nós.
2ª Parte: O CRENTE E A GRATIDÃO
Texto: Lc 17.11-19
Introdução
Dentro do assunto doutrinário “O CRENTE E A VIDA CRISTÔ, veremos na lição de hoje sobre a gratidão na vida do crente, Uma virtude que está tão escassa nos dias de hoje, mas que abre portas para novas benções.

I – MOTIVOS PARA SERMOS GRATOS
1 – É a vontade Deus 1Ts 5.18
2 – A salvação, motivo maior Lc 10.20
3 – Pelos inúmeros benefícios recebidos Sl 40.5; 103.2
A – Livramentos Sl 116.8; 124.2,3
B – Bênçãos na vida espiritual
a) Renovação 2 Co 4.16
b) Seu poder santificador 1 Ts 5.23
c) Batismo com Espírito Santo Lc 24.49
C – Somos membros da igreja 1 Co 12.27
D – Pelo lugar que ocupamos na igreja 1 Tm 1.12
E – Bênçãos na vida material Cl 3.15
a) Saúde
b) Família
c) Trabalho
d) Pão de cada dia
e) O teto para morarmos
II - DEVEMOS A DEUS GRATIDÃO E ADORAÇÃO
1 – A ingratidão dos nove leprosos Lc 17.15-17
2 – A ingratidão é um ato reprovável Rm 1.21
3 – A ingratidão esta entre os graves pecados 2 Tm 3.2
III - BENÇÃOS ADVINDAS DA GRATIDÃO
1 – Respostas aos louvores At 16.25,26
2 – Maiores bênçãos Lc 17.19
3 – Riqueza da palavra de Deus Cl 3.16
4 – Milagres de Deus At 16.24-26

Conclusão
Senhor; voz que tanto já nos destes, dai-nos uma coisa mais: um coração agradecido. George Herbert.
 
3ª Parte: O CRENTE E A HONESTIDADE
Texto: Lc 19.5-10; Ef 4.28; Rm 13.13
Introdução
Dentro do assunto doutrinário “O CRENTE E A VIDA CRISTÔ, estudaremos hoje sobre a honestidade, uma virtude que não é nem um mérito especial, mas sim uma obrigação que deve caracterizar a vida do crente.
I – O QUE É HONESTIDADE
1 – Verdade no falar Jr 10.10; Fp 4.8
2 – Retidão no agir Lc 19.8; Sl 90.8
3 – É uma característica de quem anda na luz Mt 5.13,14
II - ONDE O CRENTE MOSTRA HONESTIDADE
1 – Nos seus atos Rm 13.13
A – Andemos honestamente, andar aqui é o dia a dia, em todos lugar e momentos Rm 13.7
B – Nem em desonestidade Pv 18.9; Ef 6.5-8
C – Nos tratos Mt 5.37
D – Com os patrões 1Tm 6.2
1 – Na palavra e negócios
2 – No relacionamento com as autoridades: impostos, taxas, notas fiscal, imposto de renda.
A – Falsificar: data de nascimento, estado civil etc. a fim de obter vantagens.
B – Na questão de dividas: ele ate pode comprar a prazo, mas paga em dias Rm 13.8; a coisa é muito séria Sl 37.21. O credor fala dele elogiosamente: pode se confiar nele é um homem de bem.
3 – No relacionamento com Deus Lc 8.38,39
4 – Pensamento: Nenhum homem é honesto até que seja honesto para com Deus – Roy Smith.
III - RESULTADOS DE UMA VIDA HONESTA
1 – Um bom conceito na sociedade, muitos tem vontade de falar mal do crente, mas se ele for honesto não tem como Dn 6.4; 1Pd 2.12
2 – Uma vida tranqüila Sl 4.8
3 – Uma vida digna 1 Ts 4.11,12
Conclusão
A mentira, o roubo, a crueldade, as fraudes e a adulação são os meios mais habituais entre os homens para adquirir fortuna; por isto é que grande número de homens de bem vive na pobreza – De Vernage.
4° Parte: O CRENTE E O AMOR
Texto: 1 Co 13.1-13
Introdução
Dentro do assunto doutrinário “O CRENTE E A VIDA CRISTÔ, estudaremos hoje sobre o amor, uma virtude importantíssima na vida do crente que pretende ser feliz e morar no céu com Jesus.
I – OS TIPOS DE AMOR
1 – Eros: Amor sensual, visual, baseado nos sentidos. É da palavra “Eros” que vem a expressão “amor erótico”.
2 – Storge: Amizade, amor familiar.
3 – Ágape: Amor altruísta, abstrato. Amor “cristão”. Amor desinteressado, que não necessita de reciprocidade.
4 – Philos: Amor comunal, irmanado – por exemplo, “filantropia”.
OBS. Se as pessoas em geral aprendessem mais sobre o amor, amariam melhor. E seriam muito mais felizes, porque o amor é para isso: para ser feliz.
II - COMO TER O VERDADEIRO AMOR
1 – Através do próprio Deus Jo 3.16; 1 Jo 4.7
2 – O amor que vem de Deus é duradouro Os 6.4
3 – Através da salvação 2 Co 5.14-17
4 – Faz parte da nova natureza 2 Pe 1.4
5-É sinal que somos salvos 1 Jo 3.14
III - COMO O AMOR DIVINO EXPRESSA NO CRENTE
1 – Pelo fruto do Espírito Gl 5.22
2 – Pela ação sobrenatural do Espírito Santo Jo 3.8; Ef 4.16
3 – Pela obediência a palavra de Deus Mc 12.30,31
4 – No uso dos dons 1 Co 12.7
OBS. O amor é a fita métrica com a qual se mede o cristão.
IV - O AMOR MOVE A VIDA DO CRENTE
1 – Para cumprir o ide de Jesus Mc 16.15
2 – A obra de testemunhar de Jesus exige amor 2 Co 5.14
3 – A obra de Deus é feita com a cooperação de todos os crentes e para isto precisa amor Ef 4.16
OBS. Quem nunca amou não pode ser bom.
Conclusão
Ser amado é melhor que ser famoso – Thomas À Kempis.
5ª parte: O CRENTE E O MUNDO
Texto: 1 Jo 2.13-17
Introdução
Dentro do assunto doutrinário “O CRENTE E A VIDA CRISTÔ, estudaremos sobre o crente e o mundo, de qual mundo estamos falando? Como deve ser o relacionamento do crente com o mundo? Quais as conseqüências disto? É o que veremos.
I – DE QUAL MUNDO ESTAMOS FALANDO?
1 – Não é do mundo físico Gn 1.1,31
A – Este mundo físico exalta a Deus Sl 3.7-9
2 – Não é a humanidade Jo 3.16; 1 Tm 1.15
3 – É o mundo que representa a força que opõe a Deus Gn 3.1-8
A — Este mundo tem satanás como deus 2 Co 4.4
B-Assim como a igreja tem o Espírito Santo, o mundo também tem o seu espírito
1Co 2.12
C – Este mundo representa a posição humanidade rebelada no seu pecado e organizada contra Deus, por isto estas recomendações bíblicas Jo 2.15; Tg 4.4
II - OS SALVOS SÃO LIBERTOS DO MUNDO
1 – A salvação pelo sangue de Jesus nos liberta Tg 1.27
2 – Estamos no mundo, mas não somos dele Jo 17.14-16
3 – Como vencemos o mundo?
A – Obedecendo a palavra Sl 119.9,11; 1 Jo 2.14b
B – Crucificando a carne Rm 7.18; 8.5-9
A – Sinais do domínio da carne; uma das primeiras coisas que o espírito do mundo procura introduzir na igreja é fazer com que o crente não se sujeite a orientação da palavra de deus ao seu comportamento exterior. Por exemplo, a bíblia diz que é honroso a mulher ter o cabelo comprido e ao homem é desonra 1 Co 11.14-16. A bíblia nos orienta também sobre quanto ao modo de vestir 1 Tm 2.9; Dt 22.5. Isto não quer dizer que a igreja deve usar uniforme, cada um pode usar conforme seu gosto e suas posses, mas sim que não deve usar roupa decotada, as saias ou vestidos devem ser descentes sob todos os aspectos, da mesma forma os homens Rm 14.18
B – Meus irmãos não aceitem a orientação do mundo sobre nosso trajar, o mundo não tem direito de determinar o modo de trajar do crente, nós amamos a Deus e isto é expresso pela nossa obediência a ele Ex 20.6
C – Desviando os olhos do mal Mt 5.29
A concupiscência dos olhos Gn 3.6; 2 Sm 11
B – O quadro tenebroso da atualidade, revistas eróticas, livros imorais, filmes pornográficos, a TV, caro irmão mantenha se distante disto e diga como o salmista Sl 101.3; o pecado da atualidade aparência” Pv 6.25, veja o conselho
Is 33.15, veja ainda 2 Rs 6.9
C – A soberba da vida, o mundo não derrubando o crente pela concupiscência da carne ou dos olhos ele parte para a soberba da vida, aqui o crente começa a se achar auto suficiente, a não depender de Deus e a se achar superior a todos, começa a ver defeito em tudo na igreja, foi assim que o apostolo Pedro caiu.
Lc 22.31,33, 54,60-62
6ª parte: O CRENTE E O MUNDO / CONTINUAÇÃO
Texto: 1 Jo 2.13-17
Introdução
Dentro do assunto doutrinário “O CRENTE E A VIDA CRISTÔ, estudaremos sobre o restante do assunto crente e o mundo iniciado na semana passada, hoje veremos sobre como vencer o mundo e as bênçãos dos que conseguem.
I – COMO VENCER O MUNDO?
1 – Não conformando Rm 12.2, aqui está a chave de tudo, querer vencer o mundo, não conformar, isto vem de dentro, e aqui surge uma pergunta: Você quer realmente vencer o mundo? Tg 4.4; Mt 6.24
2 – Transformar pela renovação Cl 3.1-3
A – Pela renovação o crente é fortalecido e assim sua resistência contra as coisas do mundo se tornam mais completas Ef 4.22-24; Cl 3.9,10
B – Pela renovação o Espírito Santo aumenta o amor de Deus em nossos
C-coração Rm 5.5, assim o crente continua a viver o primeiro amor Ap 2.4
3 – Tendo consciência do que é o mundo e seus malefícios 1 Jo 2.15-17
A – Nos separa de Deus v 15
B – Ele trabalha com a concupiscência (apetite carnal desordenado) v.16 veja os males da concupiscência:
O – Paulo disse que foi dominado por ela Rm 7.8
B – Ela corrompe nossa vida Ef 4.22
C – Seus prazeres são passageiros 1Jo 2.17
II - BENÇÃOS PARA OS QUE VECEREM O MUNDO
1 – Se torna um exemplo 1Tm 4.12; 1Ts 1.7,8
2-Quem vence o mundo tem condições de ganhar o mundo para Cristo At 2.40,41; Fp 2.15
3 – Quem vence o mundo irá reinar com Cristo sobre ele Ap 20.6 e por fim herdará todas as coisas Ap 21.7, veja o que a bíblia fala aos crentes que não vencer o mundo Ap 21.8, tímido aqui é fraco, é aquela pessoas que sede facilmente ao pecado.
Conclusão
Amada igreja, vamos nos afastar das coisas do mundo, vamos lutar contra as coisas do mundo, vamos deixar claro ao mundo que somos inimigos dele e assim ficará mais fácil nossa vitória.
7ª parte: O CRENTE E A ARMADURA ESPIRITUAL
Texto: Ef 6.10-18
Introdução
Dentro do assunto doutrinário “O CRENTE E A VIDA CRISTÔ, estudaremos sobre a armadura espiritual; esta lição é importante uma vez que crente nenhum pode vencer o diabo pelo seu próprio poder e sim com a ajuda de Deus.
I – O DIABO ATACA O CRENTE
1 – Uma luta espiritual Ef 6.12
2 – O objetivo de satanás é nos derrotar 1 Ts 2.18
3 – Ele quer destruir nossas vidas Lc 22.31; 1Pd 5.8
II - DEUS DESEJA QUE O CRENTE VENÇA
1 – Para isto em Efésios 6.13 nos dá três conselhos
A – Resistir 1 Pe 5.9; Tg 4.7
B – Permanecer firme 1Co 15.58
C – Estar fortalecidos e certos que com Cristo seremos vencedores Ef 6.10;
2 Co 10.4
1-Precisa se também do uso da armadura espiritual
A – Cinto da verdade Ef 6.14, o cinto era usado pelos guerreiros para sustentar a couraça e também a espada; o crente tem de sempre ser uma pessoa de verdade Ex 18.21, ele foi salvo por Jesus que é a verdade Jo 14.6; foi gerado pela palavra da verdade Tg 1.18, por isto deve falar a verdade sempre Ef 4.25
B – Couraça da justiça Ef 6.14; a couraça era uma proteção tanto para peito como para as costas, feita de fivelas ou anéis de metal, ela fala da proteção que traz a justiça de Cristo Rm 3.24 tanto por traz (passado) como pela frente (futuro)
C – Calçado os pés na preparação do evangelho da paz Ef 6.15, este calçado era de metal e cobria dos pés ate os joelhos (chamava se greva) protegia de pedras e serpentes Sl 91.12,13
D – Escudo da fé Ef 6.16, o escudo era uma chapa de metal servia para proteção contra espadas e setas, este escudo hoje é; Deus Sl 18.2; A bíblia Sl 91.4, e a salvação Sl 18.35
E – Capacete da salvação Ef 6.17, era uma proteção metálica para a cabeça, este capacete é a nossa salvação que deve proteger nossas cabeça para não cedermos as propostas de satanás, veja exemplo de homens de Deus que não usou este capacete: Davi 2 Sm 11.2; Acã Js 7.21 e Eva Gn 3.6 e foram derrotados porque não protegeram a porta de seus olhos
F – A espada do Espírito Ef 6,17, enquanto todas as armaduras eram de defesa esta é de ataque Mt 4.10,11, ela liberta os escravos de satanás Jo 8.32
Conclusão
Agora é só usar esta armadura com oração e você será protegido do dia mal e por ultimo ficar firme Ef 6.13.
8ª parte: O CRENTE E O DIZIMO
Texto: Ml 3.7-10
Introdução
Dentro do assunto doutrinário “O CRENTE E A VIDA CRISTÔ, estudaremos hoje sobre o crente o dizimo, este estudo é importante porque quando um servo de Deus entrega o dizimo todos ganham, mas principalmente ele próprio.
I – O QUE É DIZIMO?
1 – Reconhecimento pelas bênçãos divinas Sl 104.30
2 – Adoração 1Co 16.1-4
I.I – DIZIMO NO ANTIGO TESTAMENTO
1 – O exemplo de Caim e Abel Gn 4.3,4
2 – Exemplo de Abraão 1 Ts 1.3; Hb 11.6
3 – O exemplo de Jacó Gn 28.20-22
4 – Nos dias de Moisés Nm 27.30-32
5 – Na historia de Israel 2 Cr 31.5,6
II - O DIZIMO NO NOVO TESTAMENTO
1 – O exemplo de Jesus Lc 2.9; Jo 13.15
2 – O exemplo da igreja primitiva At 4.32,36, 37
3 – O exemplo da igreja da Macedônia 2 Co 8.4,5
III - O MODELO DA CONTRIBUIÇÃO NEOTESTAMENTARIA
1 – Deve ser feita com alegria 2 Co 9.7
2 – Deve ser voluntário 2 Co 9.7
3 – Deve ser conforme o seu ganho 1 Co 16.2
4 – Deve ser com fidelidade e regularidade
Conclusão Amada igreja, aqui está uma atitude importante da vida Cristã, ser dizimista é acima de tudo um bom negócio, pois quem é fiel nos dízimos o Senhor abre a s janelas do céu e derrama sobre ele bênçãos inesgotáveis.
9ª parte: O CRENTE E OS TALENTOS
Texto: Mt 25.14-30
Introdução
Dentro do assunto doutrinário “O CRENTE E A VIDA CRISTÔ, estudaremos hoje sobre o crente os talentos, Deus tem nos entregue talentos, sendo assim, precisamos valorizar os mesmos, este é nosso assunto de hoje.
I - A DOUTINA DOS TALENTOS
1 – O que são talentos Mt 25.14 > Qualidades de Deus em nós
2 – A quem pertence os talentos V.15 > tudo que temos e o somos pertence a ele.
3 – Todos os servos v.14 > as quantidades são diferentes, mas todos receberam.
4 – Como foram distribuídos os talentos v.15 > de acordo com a capacidade: nata, adquirida, saúde, voz, aptidões e etc.
II - O CRENTE NA ADMINISTRAÇÃO DOS TALENTOS V.16-18
1 – Somos mordomos > mordomo é um servo especial que é honrado e goza da confiança de seu senhor Gn 15.2
2 – Trabalhando com os talentos > assim que receberam a tarefa os servos já começaram a trabalhar v.16.18 isto nos mostra que a mordomia requer algumas coisas importantes
A – Serviço Lc 16.10; 1Cor 4.2
B – É pela capacidade Mt 25.15
C – Repudia a ociosidade Mt 25.8
D – Não aceita desperdiço
III - O CRENTE E A PRESTAÇÃO DE CONTAS COM DEUS
1 – A volta do senhor Mt 25.19 > parece que aqueles servos não esperavam seu senhor para àquela hora Mt 24.44; 25.13.
2 – O ajuste de contas Mt 25.19, este acerto de contas será individual Rm 14.12
3 – A prestação de contas dos servos fieis v.20 e 22,23, a palavra bom aqui quer dizer devotado, dedicado porque o senhor vê nele um espírito pronto e humilde.
4 – A prestação de contas do servo infiel v24, 26-28, este servo tentou se justificar com recriminações que mais o condenaram v.24 e no v.25 eles devolve o talento.
Conclusão
Tudo é dom de Deus, mesmo as coisas mais pequeninas e é o conjunto desses presentes que faz uma vida bela ou sombria, segundo a maneira de utilizá-los. Michel Quoist.
10ª parte: O CRENTE E O BATISMO COM O ESPIRITO SANTO
Texto: At 2.1-13
Introdução
Ser batizado com o Espírito Santo é uma necessidade imperiosa na vida de todo o crente que deseja ser usado por Deus no seu serviço.
I – A REALIDADE DO BATISMO COM O ESPIRITO SANTO
1 – Falsos conceitos sobre batismo com o Espírito Santo
A – De um lado os antipentecostais confundindo o batismo com conversão ou novo nascimento. De outro lado estão os renovacionistas e carismáticos falando de um batismo alheio à autenticidade bíblica e no centro estão não poucos pentecostais nominais que não nutre mais nem um interesse nesta promessa bíblica.
2- O que não é batismo com o Espírito Santo?
A – Não é novo nascimento; primeiro Jesus declarou os discípulos limpos. Pela palavra Jô 15.3 só depois os batizou com o Espírito Santo
B – Não é apenas barulho ou movimento At 2.2
C – Não apenas falar línguas estranhas At 2.3
3 – O que batismo com o espírito Santo?
A – É o âmago da experiência cristã At 2.4
B – É o cumprimento das promessas bíblicas At 1.4
4 – Todo crente não batizado com o Espírito Santo deve pedir a Jesus o doador desta benção que o batize At 8.16,17; At 9.17,18; 19.6.
II - A PROMESSA DO BATISMO COM O ESPIRITO SANTO
1 – Nas palavras do profeta Joel 2.28,29
2 – Nas palavras de João Batista Mt 3.11
3 – Nas palavras de Jesus Jo 7.38,39
III - RESULTADOS DO BATISMO COM O ESPIRITO SANTO
1 – Vida abundante Jo 7.38,39
2 – Identificar com Cristo Lc 4.18,19
3 – Poder para testemunhar At 1.8,14, 37, 38,41.
Conclusão
Amada igreja, vocês que não são batizados com o Espírito Santo busque intensamente esta benção, pois ela é para vocês também, e vocês que já são batizados procure manter esta unção em vossas vidas uma vez que pior que não ser batizado é ser e perder.
11ª parte: O CRENTE E A PROTEÇÃO DO LAR
Texto: Sl 127.1-5
Introdução
Lares sagrados e felizes são os mais seguros penhores do progresso moral e espiritual de uma nação e da igreja de Deus.
I – A PROTEÇÃO ESPIRITUAL DO LAR
1 – Depende de Deus Sl 127.1
A – O lar não pode ser defendido com as armas do orgulho, da vaidade da violência ou outras carnais 2 Co 10.4
2 – Não podemos esquecer nossa limitação também nesta parte 1 Co 4.7; 2 Co 3.5
3 – A importância da presença de Deus nesta questão da proteção Sl 127.2
II - A PROTEÇÃO HUMANA DO LAR
1 – O trabalho do homem Sl 128.2, O homem ocioso é incapaz de construir um lar feliz
2 – O trabalho da mulher Sl 128.3a, Esta parte nos ensina lições importantes:
A – Beleza e amor no lar é linda a parreira suspensa em suportes coberta de uvas.
B – Prosperidade no lar, a videira era responsável por uma parte importante na economia de Israel.
3 – A presença dos filhos Sl 128.3b, este texto nos ensina algumas coisas importantes:
A – A liderança do homem, indicada pelos possessivos “tua” e “teus” estabilidade e em fim, depende do chefe da família.
B – União, “teus filhos como plantas de oliveira” a oliveira aparece na bíblia entre outras coisas como símbolo da união.
C – Alegria, a alegria deve ser o apanágio do lar, ela matem o ambiente agradável.
4 – A vigilância individual como proteção do lar 1 Jo 5.18, os filhos de menor idade são dependentes dos pais, porem eles tem sua parcela de responsabilidade na proteção do lar, protegendo a sim mesmo.
Conclusão
Amada igreja, hoje estudamos sobre o âmago das nossas vidas e onde estão centrados nossos maiores problemas da atualidade, que Deus nos dê graça para vencermos os ataques satânicos nesta área.
12ª parte: O CRENTE E O CARÁTER
Texto: Cl 3.8-17
Introdução
O caráter do crente deve transmitir sua condição de filho de Deus, distinguindo o do descrente em todos os sentidos.
I – QUE É O CARÁTER
1 – Não é personalidade
2 – E faz parte dela
3 – É a parte responsável pela ação e reação da pessoa
4 – É a maneira de agir de cada um de acordo com os princípios aprendidos
5 – Relaciona com a conduta moral do individuo
6 – A formação do caráter
A – Ela não nasce formado
B – O individuo nasce com certos traços, com potencial que em contato com o meio ambiente forma o caráter.
C – O lar e a igreja são responsáveis pela formação do caráter cristão
II - PARA UM CARATER CRISTÃO BEM FORMADO PRECISAMOS DE DUAS COISAS
1 – Despojar Cl 3.8,9
A – Da ira, A ira é uma manifestação terrível que se apodera do homem e o impede de auto disciplinar-se Gl 5.20; Ec 7.9
B – Da malicia, 1 Co 14.20; 5.7,8
C – Palavras torpes, como podemos acreditar em uma pessoa que não tem um linguajar sadio e puro? Is 6.5
D – Da mentira, Lv 19.11, toda e qualquer mentira compromete o caráter cristão e entristece o espírito Santo Jo 8.44
1 – Revestir Cl 3.10
A – Do novo homem, Jo 3.5, o novo homem tem um novo viver 2 Co 5.14,17
B – De entranhas de misericórdia Ex 34.6,7; misericórdia significa sentimento doloroso provocado pela miséria ou grande necessidade de outrem Pv 14.31; Dn 4.27
C – De humildade Mt 5.3; Sl 138.6
D – De mansidão 1Co 13.4
III - PRATICAS IMPORTANTE NO CARATER CRISTÃO Cl 3.13,15, 17
1 – Suportar uns aos outros, perdoar uns aos outros, viver em paz, ser sempre agradecido.
Conclusão
Amada igreja, deixemos Jesus moldar nosso caráter cristão.
13ª parte: O CRENTE E AS MANIFESTAÇÕES PENTECOSTAIS
Texto: At 8.9-14; 18-20
Introdução
Hoje estudaremos sobre a pureza das manifestações pentecostais na igreja, nosso objetivo é reforçar as verdadeiras manifestações e inibir as falcas uma vez que são prejudiciais ao povo de Deus.
I – COMO AFERIR A AUTENTICIDADE DAS MANIFESTAÇÕES
1 – Pela palavra de Deus Pv 30.5,6
2 – Pelo dom de discernir Ap 2.2
3 – Pelos frutos Mt 7.15,16
4 – Pela consciência espiritual da igreja Rm 8.16
5 – Pelo cumprimento Dt 18.21,22
II - IDENTIFICANDO AS FALSAS MANIFESTAÇÕES
1 – A origem
A – Humana Jr 23.16,21, 26
B – Diabólica 1 Rs 22.21-23
2 – Os motivos
A – Enganar o crente para que este rebele contra o Senhor e sua igreja At 13.8;
Jr 23.27
3 – As maneiras mais usadas
A – Profecia, Visões, Sonhos e outros
4 – Suas características
A – Introdutores de heresias 2 Pe 2.1-3
B – Defensores de paixões humanas 2 Tm 4.3,4
C – Enganadora, pois afastam os que têm boa vontade 2 Pe 2.18
D – Tem por fundamento a imitação At 16.16-18
E – A falsificação 2 Co 2.17
5 – As conseqüências
A – Mensagens que defendem pecados 2 Tm 4.3,4
B – Naufrágio na fé 1 Tm 1.9
C – O abandono do Senhor Jr 23.32,33
D – Cegueira espiritual At 13.11
E – Morte espiritual Dt 13.5
Conclusão
Amada igreja, devemos ter todo cuidado, sermos sábios no Senhor e afastarmos para longe deste tipo de manifestação chamada de pentecostal, pois temos água limpa para beber, não precisamos beber nestas cisternas rotas.
14ª parte: O CRENTE E AS MANIFESTAÇÕES PENTECOSTAIS CONTINUAÇÃO
Texto: At 8.9-14; 18-20
I – A LEGITIMIDADE DOS SONHOS E VISÕES
A – Servem para edificação e orientação
a) Sonhos – conjunto de imagem que se apresenta durante o sono, sua origem pode ser:
Divina Jo 33.14,15
Humana Ec 5.3,7
Maligna Jr 23.27,32
Sua finalidade: 1º Nenhuma Ec 5.3,7; 2º Direção Mt 1.20; 2.12,13; 19.22; 3º Advertência Gn 20.3; 4º Encorajamento 1 Rs 3.5; 5º Profético Gn 41.1,5
b) Visões – Algo que a pessoa vê estando acordada, sua origem pode ser:
Divina Sl 89.19
Humana Cl 2.18,23
Maligna Ez 13.7; Jr 23.16
Sua finalidade: 1º Mensagem profética Hc 2.2,3; 2º Direção e conforto At 16.9,10; 18.9,10; 3º Para limpeza na casa de Deus.
c) Revelação – Inspiração divina para se conhecer certas coisas, veja Dn 2.28,47; Mt 11.25; Gl 2.2.
B – Não tem autoridade doutrinaria e precisa ser provadas 1 Ts 5.21
C – Não podem ser igualados a autoridade da bíblia 2 Pe 1.21 e sim aferidos por ela Jo 20.30,31; tudo que esta escrito na bíblia deve ser aceito, crido e obedecido Jo 14.21; 15.10; 2 Tm 3.15, já com sonhos, visões, profecias e revelações precisa primeiro aferir.
II - A LEGITIMIDADE DOS MILAGRES
A – A origem dos milagres: Divina Ex 7.3,4; Jo 9.10; Maligno 2 Ts 2.9-11; 1Jo 2.18
B – Objetivos dos milagres: Revelar o poder de Deus Sl 62.11; Confirmar a palavra de Deus At 2.22; Atrair a atenção das pessoas At 8.6; Levar as pessoas a crer em Deus Jo 11.45; Aliviar o sofrimento humano Lc 13.10-13; Promover o crescimento da igreja At 3.69,11; Honrar a fé dos crentes Mc 2.3-5,10-12
Conclusão
Amada igreja, terminamos este estudo das manifestações pentecostais, creio que cada um de vocês tem condições de detectar as falsas manifestações, sejam sábios, não se deixem enganar, porem busquem a verdadeira manifestação de Deus, elas existem para o nosso bem.
A Paz!
 

Sede: Elzira Vivacqua, 195 - Jardim Camburi - Cep 29090-350 - Vitória - ES - Brasil
Rádio Profetizando Vida © - www.profetizandovida.com

Desenvolvido e Hospedado por Poly Design - www.polyinformatica.com