OS PREDICADOS DE UM DIÁCONO

Bpo. Ricardo Raymundo

O diaconato foi instituído na igreja cristã com o propósito de assistir as pessoas pobres da igreja. Foram escolhidos sete homens de boa reputação, cheios do Espírito e de sabedoria (At 6.3). Dessa forma, os apóstolos que estavam assoberbados com esse serviço foram liberados para se dedicarem exclusivamente à oração e ao ministério da Palavra (At 6.4). Agora, o apóstolo Paulo nomina os atributos de um diácono (1 Tm 3.8-10).

1. O diácono precisa ser um homem íntegro na conduta (1 Tm 3.8)

“Quanto aos diáconos, é necessário que sejam respeitáveis”.A vida do diácono é a vida do seu diaconato. Seu testemunho dentro e fora do lar é o alicerce do seu ministério diaconal. O diácono deve ser marido de uma só mulher e governar bem seus filhos e a própria casa (1 Tm 3.12). O seu trabalho está plantado no solo de sua própria vida. O diácono precisa ser um homem irrepreensível na conduta e ter bom testemunho tanto dos membros da igreja como dos de fora da igreja.

2. O diácono precisa ser um homem íntegro na palavra (1 Tm 3.8)

“… de uma só palavra…”.O diácono é um homem íntegro na palavra. Ele é um homem verdadeiro. O diácono é um homem que de coração fala a verdade; não difama com sua língua nem lança injúria contra seu vizinho. É um homem que jura com dano próprio e não se retrata (Sl 15.2-4). Sua palavra é sim, sim; não, não. Ele não transige com a verdade. Ele não mente, não dissimula nem negocia princípios absolutos.

3. O diácono precisa ser um homem íntegro na temperança (1 Tm 3.8)

“… não inclinados a muito vinho…”.O diácono tem domínio próprio não apenas sobre a língua, más também sobre a bebida. Ele não é dominado pelo vinho, mas domina o vinho. Ele tem sobriedade. Ele não se embriaga com o vinho, no qual há dissolução, mas enche-se do Espírito (Ef 5.18).

4. O diácono precisa ser um homem íntegro nas finanças (1 Tm 3.8)

“… não cobiçoso de sórdida ganância”.O diácono não pode ser amante do dinheiro. Seu coração não está posto em coisas materiais, mas em Deus. Ele não transige com sua consciência nem mesmo com os preceitos da Lei de Deus para levar vantagens financeiras. O diácono não faz do dinheiro o seu patrão. Ele pode possuir dinheiro, mas não é possuído por ele. Ele pode carregar o dinheiro no bolso, mas não no coração. A ganância é o desejo desenfreado de ter, a qualquer custo. Aqueles que assim procedem estão desqualificados para o diaconato.

5. O diácono precisa ser um homem íntegro na doutrina (1 Tm 3.9)

“Conservando o mistério da fé com a consciência limpa”.O diácono deve ser um homem fiel às Escrituras, sólido na doutrina, comprometido com a ortodoxia. Antes de sua ordenação ao diaconato, deve subscrever sua fidelidade irrestrita à Palavra de Deus e aos nossos símbolos de fé. Não podemos viver nem amar aquilo que não conhecemos. Não podemos liderar o povo de Deus se estamos claudicando na verdade. Não podemos ser exemplo para o rebanho se não conservamos o mistério da fé com a consciência limpa.

6. O diácono precisa ser um homem íntegro na maturidade espiritual (1 Tm 3.10)

“Também sejam estes primeiramente experimentados; e, se mostrarem irrepreensíveis, exerçam o diaconato”.O oficial da igreja não deve ser um neófito na fé. Ele não pode abraçar o diaconato irrefletidamente. Ele precisa ter consciência dos privilégios desse ministério e de suas imensas responsabilidades. O diácono, também, não pode ser um homem inconstante, imaturo e vulnerável. Antes, precisa demonstrar firmeza no propósito de servir a Deus e a seu povo. Se desempenhar bem o diaconato alcançará para si mesmo justa preeminência e muita intrepidez na fé em Cristo Jesus (1 Tm 3.13).

Ler de 11 à 13

PRÉ-REQUISITOS:
Filipe, apontado como um dos sete, "os evangelizava a respeito do reino de Deus e do nome de Jesus Cristo" (Atos 8.12). Filipe também batizava (Atos 6.38) e é mencionado como um evangelista (Atos 21.8). Muitas igrejas provavelmente adotaram como modelo "os sete de Jerusalém" no seu quadro de diáconos. Em 1 Timóteo 3.8-13 são dadas instruções sobre as qualificações da função de diácono, a maioria delas se relacionando ao caráter e comportamento pessoais. Um diácono deveria falar a verdade, ser marido de uma só mulher, "não dado a muito vinho", e um pai responsável. Em Romanos 12.8 e 1 Timóteo 3.4-5 encontramos outras qualidades desejadas no diácono. 

Nas Igrejas cristãs evangélicas, são escolhidos dentre a membresia, aqueles que se destacam por uma reputação irrepreensível e que não recusa os serviços da Igreja. Em assembleia deliberativa, são escolhidos os que maior votação obtiver de acordo com o número de vagas para diáconos. 

CONCLUSÃO:
  O diácono não é um ministro espiritual, mas material.  Ele próprio tem que ser um homem espiritual.
  O diácono não é o chefe da igreja. 
  O diácono não é um pastor.
  O diácono precisa permanecer um período de experiência, ser examinado e aprovado pela igreja e o seu pastor.
  O diácono também pode ser exonerado do seu cargo.
  O diácono pode fazer o trabalho que cabe ao tesoureiro.  Se temos diáconos, por que escolher um tesoureiro?
  O diácono precisa ser respeitado pela igreja como homem honesto, um bom administrador, um bom crente.
  Quando um diácono muda de uma igreja para a outra, pode ser ou não reconhecido como diácono da igreja de destino.  Isto depende de decisão da igreja.  O caso é semelhante ao pastor consagrado numa igreja, que muda para outra igreja.  É a votação da igreja que decide se ele vai ser ou não o pastor.
         
Que o Senhor desperte homens e mulheres qualificados, para servir como verdadeiros servos da Igreja!

Paz


Sede: Elzira Vivacqua, 195 - Jardim Camburi - Cep 29090-350 - Vitória - ES - Brasil
Rádio Profetizando Vida © - www.profetizandovida.com

Desenvolvido e Hospedado por Poly Design - www.polyinformatica.com