O MEU PASTOR - SALMO 23

O MEU PASTOR - SALMO 23

 
PR. RICARDO RAYMUNDO 
 
I - INTRODUÇÃO
 
Este Salmo descreve o Pastor que vive pelas suas ovelhas, guiando, alimentando e protegendo-as.
 
II - NADA NOS FALTARÁ (v1 - "O SENHOR é o meu pastor, nada me faltará")
 
Esta é uma promessa. O nosso Pastor é aquele que nos prove em todas as áreas da nossa vida, em tudo que necessitamos. Mas, precisamos ser ovelha para que nada nos falte.
Talvez você esteja dizendo em seu coração: "Mas, algumas coisas me têm faltado".Deixe-me explicar-lhe algo; Em Rt 1.1, há um relato interessante - "E sucedeu que, nos dias em que os juízes julgavam, houve uma fome na terra; por isso um homem de Belém de Judá saiu a peregrinar nos campos de Moabe, ele e sua mulher, e seus dois filhos".
Preste atenção houve fome em Belém. O significado de Belém é "casa do pão".
 
Não é estranho haver fome na casa do pão? Agora note o que está escrito em Dt 8.7-10 - "Porque o SENHOR teu Deus te põe numa boa terra, terra de ribeiros de águas, de fontes, e de mananciais, que saem dos vales e das montanhas; terra de trigo e cevada, e de vides e figueiras, e romeiras; terra de oliveiras, de azeite e mel. Terra em que comerás o pão sem escassez, e nada te faltará nela; terra cujas pedras são ferro, e de cujos montes tu cavarás o cobre. Quando, pois, tiveres comido, e fores farto, louvarás ao SENHOR teu Deus pela boa terra que te deu". Dá pra entender? Uma coisa é certa, se Deus disse que aquele lugar era um lugar de abundância, devemos concluir que essa fome não era algo normal.
 
Elimeleque teria de ter entendido isso, e em vez de ter fugido ele deveria ter resistido àquela situação, pois, com certeza, o Senhor lhe teria dado a vitória.
Qual o melhor lugar para se receber provisão? É claro que é na "casa do pão" (Belém). O nosso problema é que quando enfrentamos adversidades fugimos, geralmente, do lugar onde teríamos que estar para receber a provisão de Deus para aquela situação.
O que eu quero-te dizer é que Deus, no momento certo, virá com a provisão, mas enquanto ela não vem, Ele não deixará que lhe falte força para lutar e vencer.
Não desanime, não fuja não se entregue a situação, confie no Senhor, pois não há mal que dure para sempre (Rt 1.6 - "Então se levantou ela com as suas noras, e voltou dos campos de Moabe, porquanto na terra de Moabe ouviu que o SENHOR tinha visitado o seu povo, dando-lhe pão"). Creia Deus não se esqueceu de você.
 
III - PASTOS VERDES E ÁGUAS TRANQUILAS
(v 2 - "Deitar-me faz em verdes pastos, guia-me mansamente a águas tranqüilas")  Posso deitar-me e descansar, livre de todo o medo, porque sei que o Senhor é o meu pastor e tem cuidado de mim (Sl 3.5 - "Eu me deitei e dormi; acordei, porque o SENHOR me sustentou").
O pasto verdejante é uma figura de Jesus e da Palavra que nos alimenta.
Águas tranqüilas é uma figura do Espírito Santo, o nosso consolador.
Pastos verdejantes e águas tranqüilas também falam de necessidades supridas, falam de vida abundante - física, emocional e espiritual (Jo 10.10,11 - "...eu vim para que tenham vida, e a tenham com abundância. Eu sou o bom Pastor; o bom Pastor dá a sua vida pelas ovelhas").
Pastos verdejantes e águas tranquilas são privilégios de quem tem o Senhor como pastor.
 
IV - REFRIGÉRIO
(v 3 - "Refrigera a minha alma; guia-me pelas veredas da justiça, por amor do seu nome")
 
O que vem a ser refrigério? Refrigério é bem-estar causado pelo frescor; alívio a Paz interior que só o Bom Pastor pode nos conceder.
Não podemos negar que os embates desta vida muitas vezes abatem a nossa alma, desanimando-nos. Nesses momentos podemos contar com o Bom Pastor reanimando-nos mediante seu poder e graça.
 
V - O CONSOLO DE DEUS
(v 4 - "Ainda que eu andasse pelo vale da sombra da morte, não temeria mal algum, porque tu estás comigo; a tua vara e o teu cajado me consolam" )
 
Não é incomum, vez por outra, as coisas ficarem obscuras, incapacitando-nos de ver que há uma saída, inclusive, algumas dessas situações parecem oferecer perigo de vida para nós, e sentimo-nos como se Deus tivesse nos abandonado.
O salmista compreende e declara que mesmo nesses momentos ele sabe que Deus está presente com o seu cuidadoso amor.
O "vale da sombra da morte" representa toda situação obscura que venhamos a passar e que humanamente não conseguimos ver uma saída, uma luz no final do túnel.
Porém há uma declaração muito interessante neste verso: "a tua vara e o teu cajado me consolam". Para entendermos melhor o que isso significa convém lermos 2 Co 1.3 e 4 - "Bendito seja o Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, o Pai das misericórdias e o Deus de toda a consolação; que nos consola em toda a nossa tribulação, para que também possamos consolar os que estiverem em alguma tribulação, com a consolação com que nós mesmos somos consolados por Deus".
Deus é o Deus de toda consolação. Mas o que vem a ser o consolo de Deus?
É aqui que entra a figura da vara e do cajado. Ressalto que é relevante o fato de Davi ter escrito este Salmo, pois ele o escreve inspirado pelo Espírito Santo, a partir da sua perspectiva de pastor de ovelhas, conhecendo muito bem qual a função da vara e do cajado. A função do cajado era preservar a ovelha no caminho seguro, caso ela quisesse desviar-se o pastor passava a extremidade arcada do cajado pelo pescoço da ovelha para protegê-la de cair em alguma ribanceira ou meter-se em meio a espinhos. Caso a ovelha se debatesse, tentando escapar do cajado, o pastor batia-lhe com a vara na cabeça para atordoá-la. Feito isso ele a tomava em seus ombros e a carregava até que ela recobrasse as forças para caminhar. A vara servia também para espantar as feras que tentassem atacar qualquer ovelha do rebanho.
 
O objetivo da vara e do cajado era conduzir a ovelha ao pasto verdejante e às águas tranqüilas, dando a direção; isto é o consolo de Deus. Quando o Salmo declara que a vara e o cajado nos consolam ele está declarando que, mesmo em meio do vale da sombra da morte, mesmo em meio às lutas nas quais ficamos como que atordoados sem saber para onde ir, sem conseguirmos ver uma saída, o Deus de toda consolação, o nosso Pastor, que nos consola em todas as nossas tribulações, nos toma em seus braços e nos conduz á vitória, mesmo que às vezes Ele precise usar a vara e o cajado.
 
Às vezes pensamos que estamos sendo açoitados por Deus, mas na verdade, embora não consigamos perceber ou aceitar, estamos sendo preservados por Deus, e com certeza sairemos daquela situação mais maduros, crescidos. Consolar é colocar-se ao lado encorajando e ajudando a encontrar a saída em tempos de aflição. Deus desempenha essa função, na vida das suas ovelhas, através do Espírito Santo que é o nosso Consolador, aquele que nos conduz a toda verdade, ao lugar de descanso e alívio para a nossa alma cansada, que é junto ao Bom Pastor (Mt 11.28 a 30 - "Vinde a mim, todos os que estais cansados e oprimidos, e eu vos aliviarei. Tomai sobre vós o meu jugo, e aprendei de mim, que sou manso e humilde de coração; e encontrareis descanso para as vossas almas. Porque o meu jugo é suave e o meu fardo é leve").
·         Proteção - As ovelhas estavam sempre sujeitas a cair num vale, sujeitas aos ataques de lobos e ursos, e por serem muito frágeis, necessitavam de defesa e proteção. O salmista como pastor, já teve a experiência de proteger as suas ovelhas (1 Samuel 17.34-36). Nós, como ovelhas, somos frágeis, e sofremos muito com os ataques do leão, o diabo (1 Pedro 5.8 –“ Sede sóbrios, vigiai. O vosso adversário, o Diabo, anda em derredor, rugindo como leão, e procurando a quem possa tragar”), do mundo, da carne, do pecado, das tentações, por isto, precisamos muito de proteção, e Jesus é nosso defensor seguro (1 João 5.18 – Sabemos que todo aquele que é nascido de Deus não vive pecando; antes o guarda aquele que nasceu de Deus, e o Maligno não lhe toca”). Ele nos protege, com a sua própria vida (João 10.10-13, Ora, o mercenário foge porque é mercenário, e não se importa com as ovelhas. Eu sou o bom pastor; conheço as minhas ovelhas, e elas me conhecem, assim como o Pai me conhece e eu conheço o Pai; e dou a minha vida pelas ovelhas”). Ele dá a sua vida em favor das suas ovelhas. Mas, para que isto seja possível, é preciso que Ele mantenha estas ovelhas, sob sua guarda, para isto, ele vai usar alguns instrumentos de trabalho. 
VI - SEGURANÇA
(V 5 - "Preparas uma mesa perante mim na presença dos meus inimigos, unges a minha cabeça com óleo, o meu cálice transborda")
 
As figuras aqui apresentada pelo salmista é muito interessante:
1 - Naquela época quando um escravo fugia do seu senhor por este ser severo e maltratá-lo, ele podia refugiar-se do seu antigo senhor colocando-se sob a guarda de outro senhor. Se seu antigo senhor perseguindo-o o encontrasse à mesa do seu novo senhor, ele perdia o direito sobre o escravo, passando o escravo a ser posse desse novo senhor. Nós éramos escravos do diabo, mas um dia o Senhor Jesus nos recebeu junto dele. É por isso que recebemos o convite do Senhor Jesus em Ap 3.20 - "Eis que estou à porta, e bato; se alguém ouvir a minha voz, e abrir a porta, entrarei em sua casa, e com ele cearei, e ele comigo". Quando estamos ceando com Jesus - isto significa comunhão - o diabo não nos toca.
 
2 - Além dessa segurança ainda recebemos o favor de Deus. É isto o que significa "unges a minha cabeça com óleo". Honrava-se alguém ao recebê-lo em casa ungindo-lhe a cabeça com óleo. Isto significava cuidado com o bem-estar do hóspede.
 
3 - O cálice transbordando simboliza a vida abundante que Jesus, o Bom Pastor, nos concede.
 
VII - O RESULTADO
(V 6 - "Certamente que a bondade e a misericórdia me seguirão todos os dias da minha vida; e habitarei na casa do SENHOR por longos dias")
- Misericórdia se refere ao fiel amor e bondade de Deus. Em qualquer situação podemos contar com a bondade de Deus e confiar que Ele fará com que todas as coisas cooperem para o nosso bem (Rm 8.28 - "E sabemos que todas as coisas contribuem juntamente para o bem daqueles que amam a Deus, daqueles que são chamados segundo o seu propósito”; Tg 5.11 - "Eia, pois, agora vós, ricos, chorai e pranteai, por vossas misérias, que sobre vós hão de vir"). Não há um dia sequer que não possamos experimentar a misericórdia de Deus, pois ela nos seguirá todos os dias da nossa vida.
- Deus nos garante comunhão constante com Ele. Estar na casa do Senhor não se refere propriamente o fato de virmos à igreja, mas ao fato de andarmos na sua presença a cada instante da nossa vida. Estamos aqui neste mundo aprendendo a viver no céu, aquele lugar maravilhoso onde desfrutaremos da presença do Senhor eternamente.
 
VIII - CONCLUSÃO
 
Nada falta àquele que tem Cristo como pastor:
1 - Nem descanso (v 2);
2 - nem refrigério (v 3a);
3 - nem diretrizes (v 3b);
4 - nem companhia (v 4);
5 - nem consolação (v 4);
6 - nem sustento (v 5a);
7 - nem gozo (v 5b)
8 - nada enfim.
 
Que venhamos a crer, tomar posse, e, desfrutar de todas estas bênçãos que nos são destinadas, pois não são as únicas, uma ainda mais gloriosa nos espera. “E, quando se manifestar o sumo Pastor, recebereis a imarcescível coroa de glória.” (1Pedro 5.4).
Vale a pena fazer parte do rebanho do Senhor, que não se esqueceu de nenhum detalhe a nosso respeito, e poder dizer, “O Senhor é meu pastor, nada me faltará.” Amém! 
Este estudo foi visualizado: 28639 vezes