O Amor do Pai

O Amor do Pai


 

Pr. Ricardo Raymundo

 

Leitura: João 15.8-10


“ Como o Pai me amou, assim eu os amei; permaneçam no meu amor.” (v. 9)

 

Não podemos dar frutos de nós mesmos. Os frutos que glorificam o Pai (temperança, domínio próprio, paciência...) mostram o amor de Jesus em nós. Não devemos confundir frutos com atos externos. Mesmos que façamos boas obras podemos não estar dando frutos. Os frutos estão mais ligados ao ser do que ao fazer, pois indicam um interior transformado. Somente a presença do Espírito gera frutos do Espírito. Frutos não são dons.

Os dons são meios que Deus usa para nos capacitar para a missão que nos foi dada (curas, línguas, profecias, etc.). Eles estão mais ligados ao fazer do que ao ser. A obediência é o passo inicial para sermos transformados. Jesus mostra que condição indispensável para que ele esteja em nós.

Talvez a maior dificuldade que temos em seguir a Jesus seja a obediência. Obedecer significa passar os controles para ele, assumirmos de fato a condição de servos. Como Deus exige confiança e não nos mostra o futuro, isso gera incertezas e medo. Mas, se amamos a Deus, confiamos nele. No verdadeiro amor não há temor. Com amor somos capacitados a, como Jesus, levar nossa cruz e deixar o futuro nas mãos de Deus. Quem ama mais ao dinheiro e à segurança do que a Deus perde a capacidade de obedecer e vive cheio de medo.

Você ama a Deus? Obedece a Ele? Seus frutos têm se manifestado em você? Busque amá-lo e obedecê-lo mais do que pedir. Ele quer vê-lo alegre e saciado. Ele não quer que medo o domine. Não tente garantir seu futuro.

Oração: Dá-me, ó Pai, o que preciso a cada dia. Quero ter um coração que serve, que sente, que se compadece

Paz
 


Sede: Elzira Vivacqua, 195 - Jardim Camburi - Cep 29090-350 - Vitória - ES - Brasil
Rádio Profetizando Vida © - www.profetizandovida.com

Desenvolvido e Hospedado por Poly Design - www.polyinformatica.com